topo1.jpg

BARROSO candidato a Património Paisagístico pela FAO 2.

Categoria: Barroso Publicado em segunda, 05 dezembro 2016, 16:53

BoticasO concelho de Boticas recebeu na passada semana a visita de uma delegação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), com o objetivo de candidatar a região do Barroso (concelhos de Boticas e Montalegre), a património paisagístico da humanidade, através do programa “A importância mundial do Património Agrícola”.

Este programa, que está a ser desenvolvido pela própria instituição, tem como finalidade valorizar a cultura, paisagem e a gastronomia local a nível mundial. Caso essa candidatura seja aprovada e reconhecida, o Barroso será a primeira região da Europa a conseguir alcançar tal feito.

A FAO iniciou o programa “A importância mundial do Património Agrícola” em 2002, sendo que são potenciais candidatos, métodos e paisagens agrícolas específicos que foram gerados, desenvolvidos e preservados ao longo de várias décadas. O projeto tem como linhas de orientação a segurança alimentar e de subsistência, biodiversidade e função dos ecossistemas, sistemas de conhecimento e tecnologias adaptadas, cultura, sistemas de valores e organizações sociais na agricultura e, por último, os recursos notáveis de paisagens e recursos hídricos.

O processo de candidatura envolve várias instituições, designadamente a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e a Universidade do Minho (UM), a Associação de Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega (ADRAT) e a Direção Regional de Agricultura e Pesca do Norte (DRAPN).

A presença da comitiva da FAO no Município de Boticas permitiu visitar vários produtores de fumeiro e criadores de carne barrosã bem como a Cooperativa Agrícola de Boticas, um dos maiores produtores de mel certificado da região. Para além disso, a delegação da FAO visitou o Boticas Parque – Natureza e Biodiversidade e a aldeia preservada de Vilarinho Seco, sendo que na sua deslocação pôde deslumbrar pelas belas paisagens e serras existentes na zona mais alta do concelho.

O Presidente da Câmara Municipal, Fernando Queiroga, fez questão de acompanhar a delegação da FAO, demonstrando a sua satisfação por o Município de Boticas poder vir a ser considerado património agrícola.

“É com enorme orgulho que vejo as nossas tradições, usos e costumes poderem ser reconhecidos a nível mundial. Esta candidatura permite constatar que, afinal, a nossa preocupação em lutarmos para manter o que é nosso, preservando a nossa genuinidade, está a ser valorizado e reconhecido e o facto do Concelho poder vir a ser classificado como património paisagístico enche-nos de orgulho, abrindo excelentes perspetivas para o futuro da nossa terra”, afirmou o autarca.