topo1.jpg

Ex-Presidente da Concelhia do PS/Montalegre vai mesmo ser despedido.

Categoria: Barroso Publicado em segunda, 19 fevereiro 2018, 13:44

CMMA Câmara Municipal de Montalegre decidiu, na passada quinta-feira, despedir um funcionário da Câmara, e Ex-presidente da Comissão Política Concelhia do PS/Montalegre, por ter desviado, durante dois anos, para a sua conta bancária, mais de 60 000 euros.

Recorde-se que, ao que conseguimos apurar, só depois de algumas peripécias é que terá sido aberto um processo disciplinar ao referido funcionário, que veio a ser instruído pelo atual Presidente da Câmara de Chaves (funcionário da CM de Montalegre), que acabou por propor o seu despedimento.

Contra tudo o que manda o bom senso, a Câmara de Montalegre pronunciou-se sobre o processo disciplinar e consequente despedimento e, dos sete eleitos (5 do PS e 2 do PSD/CDS) apenas um votou a favor da sanção, sendo que um faltou à reunião e outro invocou incompatibilidades. A proposta teve dois votos contra e duas abstenções.

Depois da votação, a Câmara decidiu pedir um outro parecer a um escritório de advogados do Porto.

Em declarações ao Jornal Público, o Presidente da Câmara de Montalegre declarou que “a decisão que for vertida no parecer será aquela que a câmara irá sancionar”.

O Jornal Público referiu ainda que a câmara “não entregou este caso ao advogado que contratou há cerca de dois meses, Júlio Batista Santos, que recebe 36 mil euros por ano” e que o contrato assinado entre este advogado e a autarquia “visa a satisfação de necessidades não permanentes do município de Montalegre” estando o advogado obrigado a prestar à Câmara “serviços de consultoria jurídica”.