imagem_aoutravoz_jpg.jpg

Autor

Hélio Lopes

Fala Alegre, a vitória é certa

Manuel AlegreA esmagadora maioria dos portugueses conhece Manuel Alegre. Nuns casos muito bem, noutros menos bem e noutros muito mal. Em todo o caso, a enormíssima maioria desconhece que já fez parte de um Governo do PS, na qualidade Secretário de Estado Para a Comunicação Social, onde teve um papel que se deve procurar esquecer e do qual surge como marca primacial o encerramento de O SÈCULO, um dos monumentos da História da Comunicação Social Portuguesa.

Ler mais

A dolorosa trapalhada ocidental

Estado IslamicoDiga-se o que se disser, existem dois dados hoje plenamente indiscutíveis: a União Europeia quase nada representa no plano geopolítico mundial, e são os Estados Unidos que continuam a comandar o Ocidente, tentando dominar o mundo, em geral.

Esta dupla realidade defronta-se, todavia, com duas outras, que são igualmente dados objetivos: as palavras do Papa Francisco, que vem salientando ser o dinheiro o supremo valor no Ocidente, e o mais recente reconhecimento do antigo presidente dos Estados Unidos, James Carter, de que os Estados Unidos são hoje uma oligarquia podre. É difícil, ao nível global, tecer sínteses mais acertadas que estas.

Ler mais

É essencial manter a memória fresca

Hélio BernardoPassaram há dias sete décadas sobre o bombardeamento nuclear das cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki pela Força Aérea dos Estados Unidos e que conduziu à rendição incondicional do Japão na guerra em que se havia lançado contra os norte-americanos e diversos outros povos.

Este acontecimento, como se sabe, causou sempre uma espécie de atração, fruto da enormidade das ações em causa e pela novidade em que, ao tempo, tais ataques se constituíram. E, como por igual sempre acontece, tem surgido e tem-se desenvolvido um certo sentimento de injustiça ao redor daqueles bombardeamentos, esquecendo tudo o que havia estado a montante e com a novidade, que vai crescendo lentamente, de se ir defendendo um mundo sem armas nucleares.

Ler mais

DESFOCAGEM

Hélio BernardoNo meu texto recente, BRUXO..., tratei a noticiada (aparente) distância entre os bispos portugueses e o Papa Francisco ao redor dos temas colocados aos bispos de todo o mundo há perto de um ano, salientando que, com elevada probabilidade, o problema relevava mais da aparência que da realidade.

Ora, ontem mesmo, surgiu na grande comunicação social a notícia de que o Papa Francisco terá afirmado que os divorciados que se voltaram a casar são parte da Igreja e não devem ser tratados como excomungados. Trata-se, porém, de um tema que se noticiou de um modo que engloba uma clara desfocagem.

Ler mais