imagem_aoutravoz_jpg.jpg

Autor

Manuel Ramos

Saúde física e falta de saúde mental

De novo a lutar pelas injustiças que grassam no nosso concelho. Tinha pensado falar da Pista, essa “cesta rota”, esse “poço sem fundo”, que anda em obras há mais de 20 anos e que devora os poucos recursos de que o concelho dispõe para o desenvolvimento económico-social das nossas gentes. Dentro de três anos terá devorado 18 milhões de euros. Como é sabido, defendo que a Pista deve viver dos “muitos milhões” que lucra e não do orçamento da Câmara. Tinha pensado nisso, mas um assunto mais urgente se interpôs e, como um incêndio que deflagrou, tenho de lhe acudir.

Ler mais

O CAMBALACHO DO PAINEL PUBLICITÁRIO: PONTO DA SITUAÇÃO.

Felizmente não me falta o que escrever, nem a minha musa dá mostras de cansaço. Pensei abordar de novo a Pista, na qual já se estouraram cerca de 14 milhões de euros, para defender o seu abandono, mas desisti para já deste intento. Desisti também para já de abordar a recente carta que a Associação de Produtores de Fumeiro enviou à Câmara a solicitar um subsídio de 80 mil euros (dos quais 35 mil imediatamente) com vista a elevar a qualidade da Feira do Fumeiro, que está em decadência geral por várias razões: mau fumeiro, pouca gente e poucas vendas. Esta informação é radicalmente diferente da propaganda da Câmara, como veremos a seu tempo.

Ler mais

Falência do paradigma TURISMO. Chaves é quem mais lucra com os investimentos em Montalegre

Trago à colação uma notícia publicada no “site” da Câmara de Montalegre acerca da pista automóvel nas faldas do Larouco, de nome: “Montalegre conquista Mundial Rallycross até 2022”. Informa a referida notícia que a Câmara de Montalegre, proprietária da pista, já tem garantido o campeonato mundial de rallycross até 2022, portanto, por mais cinco anos, mas isso exige fortes investimentos e são referidos os montantes. Não diz, mas isso é sabido, que a organização das corridas está a cargo do Automóvel Clube de Vila Real e envolve cerca de 150 funcionários. Como a notícia passou despercebida na imprensa local e é assunto de interesse, sobretudo pelos milhões que envolve, eu quero dar-lhe aqui suficiente relevo. Já agora também cruzo essa notícia com uma outra que com ela se relaciona: o financiamento da CMM ao clube desportivo de Chaves, no valor de 8 mil euros, a troco de publicidade nas camisolas, num só jogo (1 de março).

Ler mais

O Cambalacho

cambalacho

ACTA DA 1.ª REUNIÃO DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL.

PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA.

(24 DE FEVEREIRO DE 2017).

 

Realizou-se no passado dia 24 de Fevereiro, às 9h, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Montalegre, a primeira reunião ordinária da Assembleia Municipal, presidida por Fernando Rodrigues, tendo a seu lado, na mesa da reunião, os restantes membros: secretários e Presidente da Câmara, Orlando Alves.

Na assembleia, os deputados do PSD/CDS sentaram-se ao lado direito e os do PS ao lado esquerdo; um dos lados tinha bastante mais gente do que o outro.

Ler mais

RANKING DE TRANSPARÊNCIA DOS MUNICÍPIOS. COMO SER UM TRANSPARENTE.

11Foi publicado há pouco tempo o ranking de transparência dos municípios e como sempre a comunicação social deu-lhe destaque. Os executivos municipais, porém, avaliam-no de modo diverso: aqueles que ficaram bem classificados valorizam-no, aqueles que ficaram mal ignoram-no.

O nome “Índice da transparência dos municípios” não está correto porque pode induzir as pessoas em erro. Ao juntar-se o nome “município” com o nome “transparência”, há a tendência para ver nesse ranking uma espécie de transparência política. Ora não é nada disso. Esse índice mede apenas a plenitude do seu portal da internet, ou seja, se ele contempla muita ou pouca informação e se permite muitas ou poucas funções e interacções.

Ler mais