imagem_aoutravoz_jpg.jpg

O despontar da Direita Radical.

Categoria: Opinioes Publicado em quarta, 22 março 2017, 14:50

Quando ontem escrevi o meu texto, POPULISTAS, FASCISTAS E NAZIS, encontrava-me completamente fora de poder imaginar que logo um pouco depois se viria a dar uma manifestação do Partido Nacional Renovador, (PNR), ainda ao redor da palestra que Jaime Nofgueira Pinto acabou por não realizar na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, há perto de uma semana atrás.

Como seria de esperar, a manifestação dos elementos daquele partido, desafiando os alunos da faculdade em causa, acabou por chegar ao confronto verbal, antecâmara de um outro mais grave, e que acabou por levar à intervenção da PSP. Com grande qualidade profissional, os agentes daquela polícia evitaram, nas calmas, o que bem poderia ter sido grave. E tudo por via das provocações de uma trintena de elementos do PNR.

Dentro do esperado, os elementos do PNR apresentaram-se com uns quantos vestidos com fatos típicos, ou com máscaras e pulverizadores agrícolas, gritando de início: vocês são uns fascistas, uns cobardes. E, nos termos do noticiado, e em que acredito, de pronto acrescentaram que estavam ali para fazer uma limpeza, uma desparasitação do marxismo, do totalitarismo e da falta de liberdade de expressão, que alegadamente se viveria naquela faculdade e que, segundo o PNR, o Bloco de Esquerda não pode tomar conta da instituição.

Num ápice, os estudades responderam que fascismo nunca mais, 25 de abril sempre, vocês são uns fascistas, ao mesmo tempo que entoavam músicas de José Afonso, como Grândola Vila Morena.

Fica-me agora a dúvida sobre se foi operada queixa contra os manifestantes do PNR, mormente se aquela manifestação não tiver sido solicitada e autorizada. Além do mais, o trânsito acabou por ser fortemente condicionado em toda a zona largamente envolvente. E continuo a não perceber a razão de não ser levado ao Tribunal Constitucional a legalidade do PNR, tendo em conta os valores em que se suporta, a atitude pública e a propensão, sempre apresentada, para a confrontação física.

No meio de tudo isto, o PNR até consegue ter razão em algumas das suas posições, porque nós somos hoje vítimas, sempre através da dita democracia, de um pensamento único que nos é imposto pela classe política e pela grande comunicação social. Veja-se, por exemplo, o modo fraquitote como a classe política portuguesa reagiu às bestiais palavras do indivíduo holandês que, lamentavelmente, ainda preside ao Eurogrupo.

Um dado é hoje já muito visível: a terrível falta de qualidade política na União Europeia, para lá de tolerar a presença daquele holandês à frente do Eurogrupo, ainda se dá ao luxo de prosseguir com a desgraçada política que nos conduziu ao estado em que nos encontramos. E já agora: que é feito de Ana Gomes e dos restantes eurodeputados do PS, do PCP, do BE, do CDS/PP e do PSD? Afinal, Paulo Rangel ainda foi o que mais clara e contundentemente se pronunciou. Ao que nos conduziu a entrada para esta famigerada União Europeia! Como se vê, a bestialidade não acompanha apenas Donald Trump…