topo1.jpg

PSD de Montalegre à espera de Passos para denunciar “promiscuidade partidária”.

Categoria: Opinioes
Publicado em quarta, 21 junho 2017, 10:12

PSD MontalegreDe acordo com o Jornal Público de hoje, a Concelhia [do PSD de Montalegre] olha com desconfiança para a relação entre os ex-presidentes de câmaras de Montalegre e Boticas e teme que as ligações entre eles prejudiquem o processo eleitoral do partido no concelho.

 Acrescenta o PÚBLICO que “O PSD de Montalegre aguarda pela realização da convenção autárquica do partido, que deverá realizar-se em breve, em Vila Real, para questionar o partido sobre as “estranhas relações” entre o ex-presidente da Câmara de Montalegre, o socialista Fernando Rodrigues, e o social-democrata Fernando Campos, que liderou o município de Boticas durante vários mandatos.”.

A notícia, da autoria da Jornalista Margarida Gomes, pode ser lida na integra em https://www.publico.pt/2017/06/21/local/noticia/psd-de-montalegre-a-espera-de-passos-para-denunciar-promiscuidade-partidaria-1776333.

No entanto, para facilitar a vida aos nossos leitores, reproduzimo-la integralmente aqui.

PSD de Montalegre à espera de Passos para denunciar “promiscuidade partidária”.

Concelhia olha com desconfiança para a relação entre os ex-presidentes de câmaras de Montalegre e Boticas e teme que as ligações entre eles prejudiquem o processo eleitoral do partido no concelho.

O PSD de Montalegre aguarda pela realização da convenção autárquica do partido, que deverá realizar-se em breve, em Vila Real, para questionar o partido sobre as “estranhas relações” entre o ex-presidente da Câmara de Montalegre, o socialista Fernando Rodrigues, e o social-democrata Fernando Campos, que liderou o município de Boticas durante vários mandatos.

À primeira vista, Fernando Rodrigues, que actualmente lidera a bancada do PS na Assembleia Municipal de Montalegre, e Fernando Campos, que preside à bancada do PSD da Assembleia Municipal de Boticas, seriam adversários políticos, mas não são e, na região do Barroso, há muito que se comenta a relação entre os dois.

Fernando Rodrigues e Fernando Campos são sócios de uma empresa com sede em Moçambique, que foi constituída quatro meses depois de os dois deixarem a presidência das respectivas câmaras. Desta sociedade por quotas, que se chama Urbenacala, Ldª, faz também parte Elói Ribeiro, antigo governador civil e mandatário para o distrito de Vila Real da candidatura de Cavaco Silva à Presidência da República. Mas há um quarto sócio que se chama António Alvarez, que é um empresário.

A sociedade tem por finalidade a “compra, venda, locação, promoção e gestão de condomínios, imobiliária, bem como a reparação e construção de estradas e pontes, construção e reabilitação de piscinas e furos de água”, entre outros objectivos, segundo revelou há dias o jornal Notícias do Barroso.

A três meses das eleições autárquicas, a concelhia do PSD de Montalegre olha com desconfiança para o relacionamento entre os dois ex-presidentes de câmaras e teme que as ligações entre eles prejudiquem o processo eleitoral do partido no concelho. Os sociais-democratas de Montalegre reuniram-se na sexta-feira e o comunicado aprovado fala de “promiscuidade partidária”. E aponta casos.

“Viemos a saber que existe um cenário promíscuo evidenciado pelo PSD de Boticas e pelo PS de Montalegre. Além da relação empresarial existente entre Fernando Campos e Fernando Rodrigues através da empresa moçambicana Urbenacala, Limitada a que se junta Elói Ribeiro (ex-presidente da distrital o PSD e ex-deputado pelo distrito), sabemos agora que também Albano Alvares (ex-vice-presidente da Câmara de Boticas no tempo de Fernando Campos) é sócio de uma empresa chamada Trufos Celtas na qual detém 1/3 do capital social“, diz o comunicado a que o PÚBLIICO teve acesso..

Segundo a concelhia, a “Trufos Celtas (ligada à área da restauração) tem ainda como sócios as empresas NaturBrarroso e Xenobert-Turismo, Ldª, que detêm cada uma 1/3 da participação social”. O comunicado considera ser um “facto curioso que a empresa NaturBarroso seja detida em 50%pela mãe de David Teixeira (vice-presidente da Câmara de Montalegre [PS]) que, com todo o devido respeito, pela senhora, não se vislumbra qualquer capacidade de gestão para uma empresa que até ao dia de hoje [sexta-feira] detêm um envolvimento empresarial na ordem dos 400 mil euros com entidades públicas como a empresa EHATB-Empreendimentos Hidroeléctricos do Alto Tâmega e Barroso, e com vários ajustes efectuados com assinatura de companheiros nossos”.

A concelhia pede explicações à distrital do PSD de Vila Real sobre as ligações entre os dois ex-presidentes de câmara e aguarda que seja marcada a convenção autárquica para, na presença de Pedro Passos Coelho, saber se o partido vai apoiar a candidatura do partido em Montalegre.

MARGARIDA GOMES 21 de Junho de 2017

Notícias de Barroso n.º 516

Categoria: Opinioes
Publicado em terça, 06 junho 2017, 11:20

NdeB516Ora aí está uma edição do Notícias de Barroso que deve ser adquirida num quiosque perto de si para memória futura.

Resumo da primeira página do Notícias de Barroso.

Destaque fotográfico.

A sociedade constituída em Moçambique por Fernando Rodrigues (PS/Montalegre), Fernando Campos (PSD/Boticas e Elói Ribeiro (Ex-governador Civil de Vila Real – PSD).

Fernando Rodrigues, Fernando Campos e Elói Ribeiro – Urbenacala, Moçambique.

Bento Monteiro descobre que Fernando Rodrigues, Fernando Campos e Elói Ribeiro são sócios da URBENACALA que tem por objecto efectuar grandiosos investimentos em Moçambique. Com autarcas destes que invertem as suas funções que são as de canalizar investimentos para os seus concelhos e que, afinal, só pensam em servir-se dos cargos para satisfazer interesses próprios, Barroso não pode ir adiante.

Protocolo entre Câmara e AMANGOLA foi assinado em 2013.

Barroso da Fonte, com ironia simulada, fala dum protocolo “agro-industrial” que foi amplamente publicitado pela Câmara Municipal em 2013 e agora no CP e cujos resultados ainda não apareceram.

Vilarinho de Negrões: da foto bonita à realidade cruel.

Para Manuel ramos, Vilarinho de Negrões é o espelho da triste realidade do nosso concelho. A Câmara que tanto se esmera em propagandas esquece-se que a verdade, mais tarde ou mais cedo, vem ao de cima. Vilarinho é na fotografia uma aldeia interessante mas lá dentro não tem nada que justifique a promoção que se lhe tem feito. Depois, ficamos todos mal vistos na fotografia (na da realidade).

Mas há mais motivos de interesse como os vários artigos de opinião aí publicados por Domingos Chaves, Padre Vítor Pereira e, claro está, Um Parágrafo de João Nuno Gusmão.

Uma sugestão: assine ou compre nos quiosques do Concelho de Montalegre o Notícias de Barroso. Só com o esforço de todos é que é possível manter a pluralidade de opiniões.

Vilarinho de Negrões: da foto bonita à realidade cruel.

Categoria: Opinioes
Publicado em sábado, 03 junho 2017, 21:54

Recentemente a Câmara de Montalegre deu destaque a um concurso nacional de nome “Maravilhas de Portugal - Aldeias”, que pretende premiar as sete mais bonitas de Portugal. Não é a primeira vez que um concurso deste tipo existe, nem o primeiro ao qual Montalegre concorre. Que eu saiba, as aldeias de Montalegre foram sempre excluídas no tempo do Estado Novo pela razão maior de não serem salubres e asseadas. Infelizmente a realidade pouco se alterou nos últimos 50 anos.

É VERDADE, A SEDES!!

Categoria: Opinioes
Publicado em sábado, 03 junho 2017, 15:18

Volta que não volta, após longos períodos de ausência, surge-nos a SEDES, como que proveniente de um mundo estranho e pouco entendível. E a experiência mostrou, quase sempre, que também do seu lado não vem bom vento nem bom casamento. Invariavelmente, sem realmente nada resolver, a SEDES acaba por criar instabilidade política.

OS PARTIDOS ESTÃO MORTOS?

Categoria: Opinioes
Publicado em quarta, 31 maio 2017, 23:03

Quem tiver a oportunidade de ler o presente texto, quase com toda a certeza, conhece há muito que o português, no plano político, fala por falar. Invariavelmente, diz mal, mesmo sem refletir, minimamente, sobre aquilo de que fala. Como muitas vezes pude referir, a democracia nunca foi, ao longo de toda a II República, um tema de grande interesse ou preocupação para os portugueses. E, passados os primeiros anos da III República, os portugueses, em face da nefanda ação de muita gente da classe política, de parceria com o seu modo próprio de estar na vida, foram-se afastando de novo da democracia.

Saúde física e falta de saúde mental

Categoria: Opinioes
Publicado em quinta, 18 maio 2017, 09:55

De novo a lutar pelas injustiças que grassam no nosso concelho. Tinha pensado falar da Pista, essa “cesta rota”, esse “poço sem fundo”, que anda em obras há mais de 20 anos e que devora os poucos recursos de que o concelho dispõe para o desenvolvimento económico-social das nossas gentes. Dentro de três anos terá devorado 18 milhões de euros. Como é sabido, defendo que a Pista deve viver dos “muitos milhões” que lucra e não do orçamento da Câmara. Tinha pensado nisso, mas um assunto mais urgente se interpôs e, como um incêndio que deflagrou, tenho de lhe acudir.

UMA CHATICE DOS DIABOS...

Categoria: Opinioes
Publicado em terça, 16 maio 2017, 11:21

A recente vitória de Donald Trump na corrida à Casa Branca, bem como tudo o que foi tendo lugar ao longo da campanha eleitoral anterior, veio mostrar a fantástica impostura em que se constitui a designada democracia norte-americana. Em bom rigor, uma autêntica plutocracia, onde manda o dinheiro e o sistema desde há muito montado por célebres famílias. Um sistema que se foi sempre fortalecendo através da guerra, levada pelos Estados Unidos às sete partidas do mundo.