imagem_aoutravoz_jpg.jpg

Tribunais Reabertos não voltaram a ser o que eram.

Categoria: Região Publicado em sábado, 13 janeiro 2018, 19:12

O semanário A Voz de Trás-os-Montes procurou saber juntos das populações qual o sentimento relativo à reabertura dos tribunais.

Ora, como é sabido, “o distrito de Vila Real foi o mais afetado pela reforma do mapa judiciário implementada pelo Governo de Pedro passos Coelho, em que foram encerrados quatro Tribunais e um passou a secção de proximidade”, tendo o atual Governo reaberto todos os tribunais mas, ao que parece, “as novas casas da justiça ficam muito aquém daquilo que foram no passado”.

Fernando Queiroga, Presidente da Câmara de Botica, considera que o Tribunal “é uma entidade do Estado que está presente e é o sinal que se dá à população do não abandono destas terras”. Já o Presidente da Câmara de Sabrosa, Domingos Carvas, considera que “o movimento que havia era muito superior, em que anualmente tínhamos em média 300 processos a rolar, e agora apenas 17”, acrescentando que, como se vê, a situação atual “é muito diferente”. Já o Presidente da Câmara de Mesão Frio, Alberto Pereira, considera que “é preciso melhorar a capacidade de resposta às pessoas, [atribuindo aos Tribunais] mais valências”.

Já os vários populares ouvidos pelo semanário consideram o Governo, “em vez de fecharem serviços, deviam abrir mais”, já que as pessoas do interior profundo “são cidadãos iguais a outros do país” merecendo, por isso, ter os mesmos serviços.